Fisiologia Animal: Sistema Nervoso (resumo)

fisiologia animal sistema nervoso resumo



Assunto: Sistema Nervoso (Fisiologia Animal)
Tópicos: evolução do sistema nervoso, sistema nervoso dos invertebrados e dos vertebrados, sistema nervoso central, periférico, voluntário, autônomo, simpático e parassimpático. 

O Sistema Nervoso


Ao longo da evolução e com a aquisição de uma enorme variedade de atividades orgânicas, os seres vivos necessitaram de um sistema que coordenasse todas estas atividades: o sistema nervoso. Este sistema, juntamente com o hormonal, são capazes de regular todas as atividades fisiológicas dos organismos.

Veremos agora a evolução do sistema nervoso (dos invertebrados aos vertebrados).

Sistema Nervoso dos Invertebrados


O sistema nervoso difuso foi o primeiro a surgir. Presente nos cnidários, consiste em células nervosas distribuídas pelo corpo. Não existe nenhum centro de coordenação (todas as células nervosas estão espalhadas pelo corpo dos cnidários). 

Depois, surgem nos platelmintos os gânglios nervosos, uma aglomeração simples de neurônios. Então,  nos anelídeos, esse sistema de gânglios nervosos se aperfeiçoa, pois os anelídeos têm dois gânglios cerebroides e um gânglio subfaríngeo

Já nos insetos e nos cefalópodes, os gânglios cerebroides ficam mais desenvolvidos e especializados, além de terem também uma cadeia nervosa ganglionar ventral.

Sistema Nervoso dos Vertebrados


Nos animais vertebrados, o sistema nervoso é disposto dorsalmente e é protegido pelo crânio e pela coluna ventral. Divide-se em sistema nervoso central (SNC) e sistema nervoso periférico (SNP).

Sistema Nervoso Central

O SNC composto por:

Encéfalo: é a massa nervosa encontrada atrás da caixa craniana, constituído por cérebro, bulbo, ponte e cerebelo. O cérebro nos mamíferos, em sua superfície externa (córtex cerebral), comanda diversas ações voluntárias e também as involuntárias, como a memória, os pensamentos e os sentimentos. O bulbo é o centro que comanda os impulsos nervosos (atos como deglutir, tossir, piscar olhos). Já a ponte, que fica acima do bulbo e abaixo do cérebro, controla as emoções. Enquanto isso, o cerebelo regula o equilíbrio e a tonicidade muscular. 

Medula espinhal: É uma haste cilíndrica, que se estende pelo canal raquiano e tem função de conduzir os impulsos nervosos. 

Sistema Nervoso Periférico


O SNP é formado por muitos gânglios e também por nervos, que se distribuem ao longo de todo o corpo. Os nervos podem sair do encéfalo ou da medula espinhal, ligando-os aos órgãos, músculos e glândulas. 

Os nervos são feixes de neurônios, células capazes de transmitir impulsos elétricos. Quando mexemos a mão, por exemplo, o cérebro envia a ordem para os músculos da mão, fazendo-os se movimentarem. Essa ordem (que sai do sistema nervoso central) é transmitida por meio de impulsos elétricos através dos neurônios (que estão espalhados por todo o corpo e fazem parte do sistema nervoso periférico). 

Os neurônios são compostos por corpo celular (ou soma), axônio e dendritos. O corpo celular concentra impulsos nervosos e também os responde, enquanto que o axônio e os dendritos propagam esses impulsos para os outros neurônios. 

neurônio sistema nervoso


Os corpos celulares ficam dentro do cérebro e do cerebelo, numa região chamada de massa cinzenta. Mais internamente, estão os prolongamentos destes neurônios, que formam a massa branca. Ela está presente na parte externa da medula, do bulbo e da ponte, enquanto que na parte interna há a massa cinzenta.

Sistema Nervoso Voluntário e Autônomo


O sistema nervoso periférico é dividido em sistema nervoso voluntário (responsável pelos movimentos voluntários, ou seja: por aquilo que nós controlamos) e em sistema nervoso autônomo (responsável pelos movimentos involuntários, ou seja: autônomos, "automáticos"). 

Por exemplo: quando mexemos alguma parte do nosso corpo, quem envia a ordem aos músculos é o sistema nervoso periférico por meio do sistema nervoso voluntário (porque trata-se de um movimento consciente, ou seja: somos nós que queremos mexer). Por outro lado, as batidas do coração, os movimentos respiratórios e os movimentos da digestão são exemplos de movimentos involuntários (ocorrem de forma automática, involuntária), sendo, portanto, movimentos ligados ao sistema nervoso autônomo (que também faz parte do sistema nervoso periférico). 

O sistema nervoso autônomo, por sua vez,  é divido em sistemas nervosos simpático e parassimpático, que têm funções antagônicas e fazem o corpo reagir com funções fisiológicas. 

O sistema nervoso simpático reage a situações de perigo ou então de estresse (acelerando as batidas do coração, a pressão arterial, entre outras alterações fisiológicas), sendo estimulado pela acetilcolina e pela adrenalina. Já o sistema nervoso parassimpático é o oposto: ele atua em situações de relaxamento (desacelerando as batidas do coração, a pressão arterial, entre outras alterações fisiológicas), sendo estimulado pela acetilcolina. 

Como esse assunto é extenso, vamos fazer agora uma espécie de "resumo do resumo".

Recapitulando

O sistema nervoso dos vertebrados é divido em dois:

Sistema Nervoso Central: é composto pelo encéfalo e pela medula espinhal 
Sistema Nervoso Periférico: é composto por gânglios, nervos e neurônios (que se espalham pelo corpo, transmitindo impulsos elétricos)

O sistema nervoso periférico é dividido em dois:

Sistema Nervoso Voluntário: responsável pelos movimentos conscientes (aqueles que nós podemos controlar). Exemplo: mexer a mão. 
Sistema Nervoso Autônomo: responsável pelos movimentos inconscientes, involuntários (automáticos). Exemplo: batimentos cardíacos. 

O sistema nervoso autônomo é dividido em dois:

Sistema Nervoso Simpático: faz o corpo reagir diante de situações de perigo e de estresse.
Sistema Nervoso Parassimpático: é o oposto do sistema simpático, fazendo o corpo relaxar.
Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »