Reino Vegetal: Briófitas (resumo)


briófitas reino vegetal resumo completo biologia


Assunto: Reino Vegetal
Tópicos: Briófitas (o que é, classificação, reprodução)

No resumo anterior, nós estudamos as características gerais das plantas (Reino Vegetal). Também vimos que as plantas podem ser classificadas em: algas, briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas. Clique aqui para ler o resumo anterior. 

Como já falamos das algas, vamos estudar agora as briófitas

Briófitas: o que são?


As briófitas são plantas criptógamas, avasculares e talófitas. Ocorrem em todo o mundo, nos mais variados habitats (aquáticos ou terrestres) e são plantas de pequeno porte, muito comuns em lugares quentes e úmidos. Musgos são exemplos de briófitas. 

As briófitas possuem rizoides, que dão suporte à planta e também ajudam na absorção de nutrientes. Os rizoides são como as raízes (presentes em outras plantas), porém não apresentam o mesmo tipo de estrutura. As briófitas também possuem os cauloides (que apoiam outras estruturas) e filoides (que são clorofilados).

briófitas reprodução características estrutura biologia reino vegetal resumo


Classificação das Briófitas



As briófitas podem ser classificadas em: Hepatophyta (ou Marchantiophyta), Anthocerophyta e Bryophyta

As hepáticas (Hepatophyta) são chamadas assim porque a forma delas lembra a forma de um fígado. Essas plantas necessitam de ambientes muito úmidos para seu desenvolvimento, e crescem prostradas junto ao solo.

O gênero mais comum de Anthocerophyta é Anthoceros. Na Bryophyta, podemos citar musgos-lanterna, musgos-de-gorro-cabeludo (gênero Polytrichum) e musgo das turfeiras, sendo que os musgos necessitam de menos água do que as hepáticas. 

Reprodução das Briófitas


A reprodução das briófitas pode ser assexuada ou sexuada

A reprodução assexuada ocorre por meio de propágulos, que são pequenos fragmentos que se soltam da planta e podem germinar.

A reprodução sexuada será explicada agora:

As briófitas, assim como as plantas vasculares, possuem ciclo reprodutivo com alternância de gerações. Isso porque possui duas fases: uma fase haploide, (com o gametófito, que produz gametas) e uma diploide (com o esporófito, que produz esporos). O gametófito é a fase mais desenvolvida e duradoura, permanecendo vivo após produção de gametas (diferentemente do esporófito, que é degenerado após a produção de esporos).

Para você entender melhor a reprodução sexuada, nós vamos dar o exemplo da reprodução do Polytrichum, que é uma planta dioica (ou seja, uma planta é "femininas" e outra é "masculina"). 

O ciclo inicia com a produção de gametângios pelo gametófito (n);

O gametângio masculino produz anterozoides, que nadam com o auxílio de água da chuva em direção ao gametângio feminino, fecundando a oosfera e formando um zigoto (2n);

O zigoto sofre várias mitoses e transforma-se no esporófito, estrutura diploide que produzirá esporos;

Esta estrutura se forma sobre o gametófito feminino (n), que nutre o esporófito. O esporófito (2n) sofre meiose para formar os esporos que, em condições adequadas, irão germinar e formar brotos (mais conhecidos como protonema). Este último cresce e se desenvolve em um novo gametófito

reprodução briófita
Reprodução das Briófitas





Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »