Reino Animal - Resumo Completo de Biologia



Assunto: Reino Animal
Tópicos: embriologia animal, diblásticos, triblásticos, protostômio, deuterostômio, acelomados, pseudocelomados, celomados. 

Reino Animal - resumo


Extremamente diversos em forma, tamanho e organização, os animais são seres pluricelulareseucariontes e heterótrofos por ingestãoEsses seres podem ser classificados de várias maneiras e também são organizados em nove filos: Porifera, Cnidaria, Platyhelminthes, Nematoda, Mollusca, Annelida, Arthropoda, Echinodermata e Chordata

Obs: os reinos são formados por filos (veja a classificação de Lineu).

Embriologia Animal e classificações

Há algumas formas de classificar os animais em grupos de acordo com suas características. Uma delas é analisando a formação e o desenvolvimento do embrião que dá origem ao animal. 

Após a formação do zigoto ocorre o processo de clivagem (ou segmentação), que nada mais é do que uma sequência de mitoses (divisões celulares). A "massa" pluricelular que se forma é chamada mórula e suas células são os blastômeros. Em seguida, outras divisões ocorrem e outra estrutura é formada: a blástula. Ela é formada por uma cavidade chamada "blastocele" (que contém líquido) e também pela blastoderme, que é a camada que o circunda. 




Após outras divisões, a blástula transforma-se na gástrula. Nesta fase, são formados os folhetos (ou camadas embrionárias): a ectoderme, a mesoderme e a endoderme.

De acordo com o desenvolvimento embrionário, os animais podem ser classificados de acordo com o número de folhetos embrionários (diblásticos ou triblásticos), de acordo com o tipo de abertura originada pelo blastóporo (protostômios ou deuterostômios) ou de acordo com a presença ou não de celoma (acelomados, pseudocelomados ou celomados). 


Classificação por número de folhetos embrionários

Diblásticos: São os animais que possuem apenas dois dos folhetos embrionários (ectoderme e endoderme). Esse é o caso dos cnidários (filo Cnidaria).

Triblásticos: Estes animais possuem os três folhetos embrionários (ectoderme, mesoderme e endoderme). São todos os outros animais (dos platelmintos aos cordados).

O embrião, já na fase da gástrula, possui um intestino primitivo chamado arquêntero, que se comunica com o meio externo. Isto ocorre através de uma abertura no embrião (o blastóporo), que dependendo da estrutura a qual ele dá origem, poderá classificar o animal em protostômios ou deuterostômios.




Classificação por tipo de abertura originada pelo blastóporo

Protostômio: nestes animais, o blastóporo dá origem à boca. São os platelmintos, nematoides, moluscos, anelídeos e artrópodes.

Deuterostômios: neste caso, o blastóporo dá origem ao ânus do animal. São os equinodermos e cordados.

Ao longo do desenvolvimento do embrião, a cavidade que acaba sendo formada no interior da mesoderme é o chamado celoma. Ele abrigará os órgãos que se desenvolverão em seguida.



Classificação de acordo com presença ou não de celoma

Acelomados: nestes animais a mesoderme não forma uma cavidade porque a preenche totalmente. É o caso dos platelmintos.

Pseudocelomados: nestes o celoma é delimitado não só pela mesoderme, como pela endoderme também. São os nematoides.

Celomados: animais com uma cavidade totalmente delimitada pela mesoderme. São os anelídeos, artrópodes, equinodermos e cordados. 




Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »