Transcrição, replicação e tradução (síntese de proteínas) - Resumo



Assunto: Transcrição, Replicação e Tradução
Tópicos:transcrição, replicação (duplicação), tipos de RNA, tradução (síntese de proteínas ou síntese proteica). 

Olá pessoal

Quando estudamos os ácidos nucleicos (RNA e DNA), nós precisamos conhecer os três processos que ocorrem com eles: a transcrição, a replicação (ou duplicação) e a tradução (síntese de proteínas). 

Transcrição: ocorre quando o RNA se origina a partir do DNA.

Replicação: quando a célula se divide para dar origem a outras células, o DNA precisa se duplicar (pois cada célula nova precisa ter DNA). Esse é o processo de replicação (ou duplicação) do DNA. 

Tradução: é o nome do processo de produção de proteínas ("síntese proteica" ou "síntese de proteínas"). 


Transcrição, Duplicação e Tradução



A replicação (duplicação)


A molécula de DNA passa por um processo de duplicação. Esse processo é semiconservativo, pois a dupla fita de DNA precisa se separar para ser duplicada, mas as novas moléculas criadas conterão uma das fitas do DNA inicial, ou seja: cada DNA criado terá uma fita nova e outra original (do DNA original), sendo, portanto, um processo semiconservativo (o DNA novo conserva uma das duas fitas do DNA original). 


A replicação do DNA se inicia com a quebra das ligações de hidrogênio que une as bases nitrogenadas do DNA. Nesse momento, outros nucleotídeos aproximam-se de cada fita-molde e inicia o pareamento entre A-T e G-C, resultando em duas novas moléculas de DNA, que são idênticas à molécula inicial. É desse modo que o DNA é duplicado (replicado). 

Há inúmeras enzimas que participam do processo, como a DNA polimerase (que promove a ligação dos nucleotídeos), a topoisomerase (que tem função de quebrar ligações do DNA e também restaurá-las) e a DNA ligase, que liga certos fragmentos de DNA (chamados fragmentos de Okasaki) ao longo da replicação.  

A Transcrição


A transcrição ocorre quando um RNA se forma a partir do DNA. A enzima responsável pela transcrição se chama RNA Polimerase, que a partir de uma das fitas de DNA consegue elaborar a fita de RNA. Diferentemente do DNA (que é uma estrutura em forma de fita dupla), o RNA tem apenas uma única fita. 

Transcrição



A Tradução (Síntese de Proteínas)

 
Para entendermos a tradução, nós precisamos saber primeiro quais são os tipos de RNA.

Os Tipos de RNA 

1) RNA de transferência ou tRNA;
2) RNA mensageiro ou mRNA;
3) RNA ribossômico ou rRNA


O RNA de transferência

É a menor molécula das três e sua função é a de carrear e combinar os aminoácidos que constituirão as novas proteínas. Eles se combinam com os aminoácidos e reconhecem as bases presentes no RNA mensageiro, que deverão ser pareadas com estes. As sequências reconhecidas pelo tRNA são chamadas códons, e são grupos de três bases nitrogenadas. As sequências que pareiam com os códons são chamadas anticódons. Cada trinca ou códon corresponde a um aminoácido, como pode ser visto na figura abaixo.  

O RNA mensageiro

Tem a função de transcrever a informação contida em um segmento de DNA. Seu tamanho e peso variam de acordo com o tamanho da molécula proteica final. O mRNA é composto por duas extremidades: a cauda Poli A e a cauda cap. Seu percurso é sair do núcleo já portando as informações necessárias à síntese e dirigir-se ao citoplasma.

O RNA ribossômico

Este tipo corresponde a cerca de 80% dos tipos de RNA e ele se encontra unido a proteínas, formando os ribossomos. Estes últimos, quando ligados ao RNA mensageiro são chamados de polirribossomos, onde ocorrerá a síntese proteica. 

O processo de fabricação de proteínas ("tradução", ou "síntese de proteínas", ou então "síntese proteica") ocorre no citoplasma após a saída do mRNA do núcleo, que se dirige aos rRNAs. Os ribossomos do rRNA terão a função de traduzir em proteínas a mensagem do DNA carreada pelo tRNA e transcrita pelo mRNA inicialmente.  

Passos da tradução:


1)Saída do mRNA do núcleo portando determinado número de códons (aminoácidos) e dirigindo-se ao citoplasma;

2)Já no citoplasma, um ribossomo se liga ao mRNA, num códon inicial (há um códon específico que indica o início da leitura). Logo chegam tRNAs portando determinados anticódons (aminoácidos), que se ligam também ao ribossomo e pareiam suas trincas de bases com o mRNA;

3)Ocorre, então, a primeira ligação entre os aminoácidos presentes no tRNA e no mRNA (é a chamada ligação peptídica). Assim que ela ocorre, o ribossomo se desloca ao longo do mRNA e outro tRNA liga-se ao mRNA. Assim segue a tradução, com o ribossomo se deslocando a medida em que chegam outros aminoácidos e até que surja um códon de parada, que indica o fim da tradução;

4)Quando o códon de parada aparece, o tRNA e o ribossomo se desligam do primeiro peptídeo formado, que ficará livre no citoplasma. Esse peptídeo será usado para inúmeras funções da célula e nada impede, também, que outros ribossomos surjam recomeçando a síntese de um peptídeo maior, até formar uma proteína.

Obs.: Costuma-se chamar peptídeo as moléculas formadas por até 100 aminoácidos e apenas quando ultrapassa esse número, é que chamam a molécula de proteína. Alguns autores, porém, podem denominar proteínas algumas moléculas com menos de 100 aminoácidos.  
Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »